Vereador Paulão do Caldeirão manifestou sua indignação e revolta sobre o problema da regulação na saúde do Estado

O vereador Paulão do Caldeirão (PSC), manifestou em discurso na tribuna em sessão ordinária na manhã desta quarta-feira (09), no plenário da Câmara, toda sua indignação e revolta sobre o problema da regulação na saúde do Estado ao citar o caso de um paciente que está com dificuldade de transferência por meio da própria regulação. O vereador lamentou a situação e declarou que “a regulação no Estado é uma máquina de matar”.

“É uma situação crítica e lamentável essa situação da regulação que o Estado nos impõe. Se seu Raimundo morrer e não for transferido hoje, eu vou no Ministério Público denunciar essa corja de bandidos. Essa regulação mata mais que o câncer. Seu Raimundo está agonizando, pois fez o teste da covid-19 e agora tem que esperar o resultado e só sai com oito dias, estão esperando ele morrer por negligência médica. As pessoas estão morrendo é necessário fazer algo com essa regulação, eu não vou deixar o povo morrer”, afirmou Paulão.
O edil mostrou-se indignado com a situação, ao relatar que o paciente tem que contar com a sorte de conhecer alguém influente que possa interceder para conseguir uma transferência através da regulação.
“Ai para conseguir uma regulação tem que ligar para um vereador, para um deputado, então as pessoas que não tem essa influência, não conseguem?” questionou o vereador.
“Eu vou votar com o governador Rui Costa, no Jacques Wagner, mas se não regularizarem essa esculhambação na Bahia, eles não vencem nada”, apontou.

Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no google
Google+
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn