Presidente da CPI dos contratos afirma que irregularidades na Secretária da Saúde foram apontadas inúmeras vezes durante oitivas; “Este é apenas o início”

Mediante irregularidades apontadas, por meio da CPI da Saúde, a Polícia Federal (PF) na manhã desta quinta-feira (4), iniciou as investigações através da Operação No Service, em virtude de cumprir os mandados judiciais para começar as investigações adequadas sobre as fraudes da contratação de empresa do atual secretário de Saúde de Feira de Santana, Marcelo Britto, em virtude da realização de consultorias em uma unidade de atendimento do município.

“O principal trabalho dos vereadores é fiscalizar e esta Casa tem cumprido o seu papel com a CPI DA SAÚDE, a qual estive como presidente. Diante das irregularidades encontradas com a investigação da Câmara, a PF deflagrou, nesta manhã uma operação, na qual foram cumpridos os mandados judiciais. Ainda teremos outros desdobramentos, a CPI trouxe muitos elementos, a exemplo de desvio de dinheiro do Fundo Municipal de Saúde. Pessoas contratadas para trabalhar em outros órgãos, que não a Secretaria de Saúde, mas que eram pagas com o dinheiro da secretaria, possíveis crimes de corrupção passiva, emprego irregular da verba pública, sonegação fiscal, uso irregular da prefeitura, sem contar com a simulação da venda do HTO. Este é apenas o início, tudo que for irregular será descoberto e os criminosos irão pagar”, apontou o vereador e presidente da CPI da saúde, Paulão do Caldeirão. 

Para seguir a decisão judicial, a Prefeitura de Feira de Santana informou que afastou os secretários municipais Denilton Brito (Governo) e Marcelo Britto (Saúde) até que a justiça apure as irregularidades. De acordo com a nota, a administração municipal vai designar em breve nomes para assumir as secretarias durante o período de apurações.

Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no google
Google+
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn