‘Omissão do atual Secretário de Saúde’ impede abertura de novos leitos no Hospital de Campanha

Na tarde desta terça-feira (06), o vereador Paulão do Caldeirão (PSC), por meio da Comissão Especial de Enfrentamento ao Coronavírus da Câmara Municipal de Feira de Santana, se reuniu com o médico Francisco Mota, o diretor do Hospital de Campanha, para adquirir informações sobre a atual situação do combate à pandemia no município.

De acordo com o médico Francisco, a taxa de ocupação do hospital no momento é de 100%, os leitos de UTI estão completamente lotados. “Passamos em torno de 40 dias com 100% da UTI ocupada, na última quarta-feira diminuiu um pouco, se mantendo em torno de 90% e de domingo para cá já temos 100% de ocupação novamente, inclusive chegamos a ter na segunda, três negativas de vagas por falta de leito na UTI”, informou o diretor.

Conforme informações da Comissão, em reunião realizada há aproximadamente 45 dias teria sido acordado o aumento de 5 leitos de UTI e 8 leitos clínicos no Hospital de Campanha, isto durante a gestão do antigo secretário, Edval Gomes, no entanto não houve abertura dos leitos.

Questionado sobre a previsão dos novos leitos no Hospital de Campanha, o diretor informou que trata de uma responsabilidade da Secretaria de Saúde.”Depende da secretaria, não é um assunto que nós tratemos aqui no hospital de campanha, mas sendo solicitado temos como fazer”,assegurou o Francisco Mota.

Após a reunião com a direção do hospital, o vereador Paulão, confirmou que a comissão foi surpreendida com a informação dada pelo diretor, de que existe este entrave quanto à assinatura de um ofício.

“Podemos constatar que está havendo uma omissão por parte do atual secretario de saúde, já estava decidido que iria aumentar os leitos. E então entra um secretário que pisa o pé em um projeto do prefeito Colbert com o Hospital de Campanha e diz que está esperando fazer estudo. Quero saber qual estudo ele está fazendo? É o número de pessoas que estão morrendo em Feira de Santana? O secretário de Saúde vai esperar morrer quantas pessoas para que se amplie os leitos hospitalares”, questionou o edil.

O vereador Emerson Minho (DC), também presente na reunião lamentou a postura do novo secretario da saúde. “Ele não está como um secretário de saúde e sim como comerciante, economizando, nem sequer respondeu um simples ofício.

Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no google
Google+
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn