Aprovado requerimento que solicita audiência pública para esclarecer procedimento de regulação em Feira de Santana

Durante sessão ordinária, na manhã desta terça-feira (22), foi apresentado e aprovado o requerimento de autoria do vereador Paulão do Caldeirão (PSC), solicitando uma audiência pública para o dia 04 de março, numa sexta-feira, às 08h e 40min, com intuito de esclarecer o procedimento de regulação que vem sendo realizado no município de Feira de Santana pelas unidades de pronto atendimento (UPA), policlínicas e hospitais públicos.

“É necessário entender o motivo da demora na regulação e a forma que tem sido realizada, pois inúmeras são as consequências desse descaso com os pacientes, precisamos discutir a questão da regulação, essa regulação que mata mais que o câncer, é preciso que essa Casa adote providências, os cidadãos estão sofrendo, pois não conseguem transferência para outras unidades de saúde em tempo hábil, e enquanto isto os pacientes estão agonizando nas policlínicas e nas UPAs, tudo isso em razão da demora do processo de regulação, é lamentável essa situação, então devido a todo esse sofrimento, nosso mandato entrou com denúncia no MP e também realiza a solicitação e o apoio dos demais colegas vereadores para que essa audiência pública venha ser realizada e que soluções sejam discutidas”, apontou o edil.

De acordo com a matéria, foram convocados inúmeras autoridades do município, assim como o secretário de saúde, Marcelo Brito; o presidente do ministério público, promotor Dr. Audo Silva Rodrigues; o diretor do HGCA, José Carlos Pitangueira; a diretora geral do hospital Dom Pedro, Sandra Peggy; o diretor da Casa de Saúde Santana, Elenilson Santos; o diretor do Hospital da Mulher, Francisco Motta; os deputados federais e estaduais ligados ao município e a imprensa para acompanhar e realizar cobertura dos acontecimentos.

Ainda segundo o edil, tanto a denúncia ao Ministério Público, quanto a Audiência Pública foram motivadas mediante as diversas reclamações dos pacientes nas unidades de saúde, já sendo fato público a dificuldade enfrentada por inúmeros pacientes no momento da regulação. “Gostaria que alguém me explicasse o motivo pelo qual uma pessoa tem que passar 20 dias em uma policlínica agonizando sem conseguir uma vaga de transferência, tendo tantos hospitais em Feira”, questiona o edil.

 

Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no google
Google+
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn